Naval 1º de Maio

Associação Naval 1º de Maio

A Associação Naval 1º de Maio, foi fundada em 1 de Maio de 1893, sucedendo à extinta Associação Naval Figueirense.

Sendo uma Associação de raiz iminentemente operária o nome escolhido para a agremiação não poderia ter sido mais apropriado, assim como o dia escolhido para a sua implementação – o dia do Trabalhador, de 1893.

Como primeiro Presidente da sua Direcção, a Naval teve João da Encarnação, banheiro da Praia da Claridade, da cidade sede da Figueira da Foz.

Na sua fase inicial, a Naval tinha por objectivo a prática de desportos naúticos, por parte dos seus associados. E foi no Remo, durante os seus primeiros anos de história, que a Naval 1º de Maio almejou alguns dos seus grandes sucessos desportivos. Mas, embora tenha nascido com uma vertente naútica, a Naval 1º de Maio foi alargando as suas secções desportivas e culturais, numa tentativa de porpocionar aos seus associados um leque variado de opções de prática desportiva e de actividades lúdicas.

Assim, para além da secção naval, surgiu a ginástica, a natação, o futebol, a patinagem, os pesos e halteres, a luta greco-romana, basquetebol, tiro, esgrima, dança, entre outros.

Também foi objectivo dos fundadores da Naval 1º de Maio, proporcionar um desenvolvimento cultural e cívico aos seus associados, promovendo, como era tradicional na época, actividades recreativas, de que se destacam os passeios, bailes, festas, animatógrafo, garraiada, orfeão e o teatro.

Como conclusão desta intensa actividade destaque-se que a Associação Naval 1º de Maio foi a terceira colectividade portuguesa a ser reconhecida pelo Comité Olímpico Português, e é, presentemente, a quarta colectividade desportiva mais antiga do país, com 116 anos de existência.

Muito do enorme espólio da Associação Naval 1º de Maio foi consumido num incêndio, que no dia 4 de Julho de 1997, destruiu a sua sede social. Com ele quase desapareceram 105 anos de história, à data, da Naval 1º de Maio.

Posteriormente ao incêndio, a Naval 1º de Maio implementou a sua sede provisória no Estádio Municipal José Bento Pessoa, onde se mantém até aos dias de hoje.

 

A mudança de cores

Segundo o Regulamento Náutico da Naval, datado de 3 de Junho de 1907, os uniformes eram azuis e brancos e o galhardete também era azul e branco em quatro partes com uma âncora vermelha ao centro.

Poucos meses antes da implantação da República, no dia 16 de Junho de 1911, a Naval deslocou-se a Lisboa para disputar o Campeonato Nacional de Remo – “Taça Lisboa”. A tripulação da Naval era composta pelo timoneiro António Nogueira e pelos remadores David Viana, Henrique Varanga, José Faria e Oliveira e Patrício Dias venceu a prova de forma brilhante sagrando-se campeã nacional. Após a cortar a meta, a tripulação navalista foi alvo de uma chuva de carvão de pedra lançada por marinheiros a partir das fragatas ancoradas no Tejo, chamando-lhes “talassas”, identificando-os assim com o regime monárquico, devido ao azul e branco dos seus equipamentos. Apesar da despedida de Lisboa ter sido bastante desagradável a chegada à Figueira da Foz apoteótica.

De modo a evitar maiores dissabores foi realizada uma Assembleia Geral Extraordinária onde se decidiu alterar as cores da Naval para verde e branco.

 

Modalidades

Ao longo dos anos foram inúmeras as modalidades praticadas na Naval 1º de Maio. A vela, a natação, a ginástica, o basquetebol, o tiro, o atletismo, o ciclismo, o voleibol, o ténis de mesa e o bilhar são modalidades que foram sendo extinguidas com o passar dos anos.

Atualmente existem 2 modalidades, o remo e o futebol.